Tag

Veneza

EUROPA, ITÁLIA, Veneza

Palácio Ducal – Itinerário Secreto – Veneza

“Esse post faz parte da blogagem coletiva de blogueiros da RBBV. No final desse post você encontra os links de todos os blogs que estão participando com diversos lugares inspirados pelo cinema e literatura.”

Palácio Ducal – Itinerário Secreto – Veneza

Segundo o Wikipedia, a cinefilia é o gosto pelo cinema e o interesse demonstrado por tudo aquilo que se relaciona com a sétima arte. Em muitas das nossas viagens costumamos assistir filmes que se passam no nosso próximo destino.  Antes de embarcar a Veneza um dos filmes que nos chamou a atenção foi o Casanova, um romance envolvente entre um escritor italiano e sua paixão por uma mulher que o rejeita e muitas imagens de Veneza (claro que o ator Heath Ledger como protagonista também ajuda rsrsrs)

Mas o que tornou o filme mais curioso é que Giacomo Girolamo Casanova fez realmente parte da história de Veneza e ficou popularmente conhecido por ter sido o único fugitivo da prisão do Palazzo Ducale.

O Palácio Ducal

O Palácio Ducal ou Palácio do Doge é um dos pontos turísticos de Veneza que mais chama a atenção e com certeza uma das construções mais fotografada. Situado na Praça São Marco, ao lado da Basílica e de frente para o principal porto de entrada da cidade é um prédio gótico veneziano lindo que desafia qualquer um a pensar que ele está sob as águas.

vista-palacio-ducal

detalhe-palacio-ducal

Foi construído a partir do ano 810 (antes da Basílica) para ser casa dos Doges e sede administrativa e política da cidade, além de é claro abrigar uma prisão na parte mais inferior do prédio. Por várias vezes o prédio ou parte dele foi incendiado passando aasim por diversas reformas e acréscimos de salas até chegar ao tamanho que está hoje.

entrada-palacio-ducalDetalhes do pátio interno do Palácio.

As construções terminaram por volta do ano 1.565 e das estruturas do século IX nada restaram. Ele foi usado até 1797 pelo Império Napoleônico e Austríaco e só e 1996 passou a fazer parte dos Museus Cívicos de Veneza.

palazzo-ducale

O Palácio, os aposentos dos Doges e os grandes salões podem ser visitados,  bem como a ala da prisão mais nova, que é um prédio ao lado aonde se chega atravessando a famosa Ponte do Suspiro. Mas essa parte eu vou contar em outro post.

ponte-do-suspiroA passagem pelo interior da Ponte do Suspiro. 

patio-prisao-venezaPátio interno da prisão da ala nova. 

Para conhecer a ala mais velha e as prisões assustadoramente antigas, onde ficou preso o grande protagonista de Veneza é preciso comprar ingresso para o passeio ITINERÁRIO SECRETO.  

O Itinerário Secreto do Palácio Ducal

Depois de assistir ao filme ficou a curiosidade de saber como o Casanova conseguiu essa façanha de fugir de uma prisão e descobrimos que há uma visita no Palazzo Ducale percorrendo um itinerário secreto com guias em inglês, italiano ou francês, em horários específicos e número de visitantes limitados. Compramos os ingressos no local para a visita em Italiano. A visita toda leva em torno de 1:30h

doges-palacioPátio interno do Palácio e a Basílica de São Marcos no fundo.

O itinerário tem inicio no pátio principal do Palazzo Ducale para encontrar a guia e receber algumas informações como a de que não pode tirar foto durante a visita, nem sem flash (inclusive as bolsas devem ficar para frente para a guia ver que ninguém pegou suas câmeras) e que ao trocar de sala ela iria contar os participantes, e se alguém tivesse se perdido (a visita é um verdadeiro labirinto) deveria ficar parado que ela voltaria encontrar e o restante do grupo deveria ficar aguardando.

visita-itinerario-secretoPonto de encontro com a guia no pátio interno.

A visita já começa em uma cela minúscula, úmida e escura, as chamadas Pozzi. Aqui a guia já explica que nas inundações os presos continuavam lá e isso já se tornava uma verdadeira condenação à morte já que a maioria ficava doente. No inverno também não era permitido acender velas devido o risco de incendiar, pois mesmo sendo algumas paredes erguidas em pedras, tem muita madeira na construção e lá ficavam muitos papéis arquivados. Até hoje, durante a maré alta, no verão com calor intenso ou no inverno mais rígido essa parte da prisão fica impossibilitada de se visitar.

entrada-visita-secretaPorta de entrada para o Itinerário Secreto que dá direto nas celas antigas. 

Curioso mesmo foi ver a marcação nas portas com números romanos ao contrário para confundir a ordem da saída aos que se arriscavam fugir, embora a maioria dos presos não soubessem ler. Durante o percurso era possível ver algumas escritas nas paredes feitas pelos poucos presos que sabiam escrever.

celas-palacio-ducalFotos da ala nova da prisão, onde é permitido fotografar. 

ducale-prisao

Vale citar: os presos nunca não sabiam o motivo de estarem presos e nem por quanto tempo lá ficariam.  Inclusive nem o Casanova sabia, ele apenas cita no seu livro uma suposição do motivo de ser preso, por ser ateu ou maçom ou ainda praticar alquimia, mas novamente, são apenas suposições do real motivo.

prisao-venezaCelas da ala mais nova da prisão do Palácio dos Doges. 

prisao-casanova

Após visitar as celas mais inferiores também é possível passar por uma grande sala onde eram guardados todos os arquivos de Veneza, quem trabalhava lá tinha uma alto salário e era um cargo passado de pai para filho pois precisava ser de muita confiança para guardar os segredos do palácio e daRepública. Cada armário possui o Brasão da família responsável por aqueles arquivos.

Nas salas principais haviam gigantescos chãos de mármore, questionamos a guia de como foi possível levar até lá uma pedra tão grande e ela explicou que era uma mistura de pedra e outros materiais feitos ali no local mesmo, formando uma pedra só com desenhos únicos e lindos.

As Prisões (Piombi) no andar acima eram melhores. Os prisioneiros que tinham um certo poder aquisitivo ou influência política podiam ficar lá, inclusive podiam mobiliar com alguns itens o local. Casanova ficou em duas dessas, na primeira ele tentou fugir mas sem sucesso e mudaram ele de cela e dali ele conseguiu fugir. A guia contou que não há registros exatos da fuga, o próprio Casanova pôde ter exagerado em seu livro, dizendo que contou com a ajuda do seu vizinho de cela, um padre que deu sua roupa ao Casanova. Após uma engenhosa abertura das celas os dois saíram caminhando pela porta da frente do Palazzo e nunca mais foram capturados.

prisao-casanova-celaCela onde ficou Casanova. Foto site oficial: www.palazzoducale.visitmuve.it

salas-interior-ducaleFoto site oficial: www.palazzoducale.visitmuve.it

No sótão passamos pela Sala das Armas onde fica uma exposição de armamentos da época. Essa parte do passeio fica impossível de fazer no verão devido o calor e não é possível instalar refrigeração pois a estrutura super antiga não aguentaria.

Aqui também entramos em uma portinha que foi possível ver toda a estrutura do teto do Palazzo e é muito interessante, já que o salão abaixo que chegou a ser o maior salão do mundo não possui pilares no centro, toda a sustentação de madeira está visível e entrelaçada ali no sótão. (os arquitetos e nosso pai que entende de marcenaria piram rsrsrs).

sotao-prisao-venezaSótão do Palácio Ducal Foto site oficial: www.palazzoducale.visitmuve.it

Na Sala da Inquisição ainda possui uma mesa original da época onde 3 Juízes eram responsáveis pelos julgamentos. Em torno dessa sala há algumas celas para que alguns presos vissem as torturas, tornando uma (já) tortura e pensar em confessar seus crimes. Na Sala da Tortura havia um mezanino para melhor visualização da execução, ui.

sala-inquisicaoFoto site oficial: www.palazzoducale.visitmuve.it

O passeio ainda passa por outras salas administrativas, algumas extremamente simples e outras ricamente decoradas com pinturas de Tintoretto e Veronese. O trajeto termina nos aposentos dos Doges, que é onde começa o passeio normal, aí você pode seguir sozinho e conhecer o resto do Palácio.

Léli e Dana

Informações Uteis – Itinerário Secreto:

Italiano: 09.30 e 11.10 / Inglês: 9:55, 10:45 e 11:35 / Francês: 10:20 e 12:00

Valor:

Inteiro: € 20 / Meia: € 14

Site oficial: www.palazzoducale.visitmuve.it

Este post faz parte de uma ação conjunta/BLOGAGEM COLETIVA DA RBBV (Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem). Veja aqui mais viagens inspirados pelo cinema e literatura:

Nativos do Mundo A Lisboa de Fernando Pessoa

Notícias da BotaItinerário do filme Inferno de Dan Brown

Tirando FériasPlaza de España: cenário de cinema em Sevilha

Coletivo de ViagemInspiração: Um ano na Provence
De Turista a viajanteO cinema, a literatura e as viagens
Bagagem de Memórias5 filmes que inspiram viagens
Apure Guria5 séries para viajar

Aqui tem mais lugares legais que conhecemos em Veneza:

Acompanhe as novidades do blog também pelo nosso Facebook e Instagram

Reserve seu Hotel em Veneza aqui no Banner do site Booking. Você não paga a mais por isso, mas ajuda a manter o Blog no ar, pois recebemos um comissão através da parceria com o Booking. 🙂

E se precisa alugar um carro na Itália é só pesquisar aqui na RENTALCARS. Você aluga um carro com uma empresa segura, ajuda o Blog e passeia tranquilo pelas lindas cidades italianas.

Não esqueça de comprar seu seguro antes de viajar. A REAL SEGURO VIAGEM tem um buscador que compara os preços em várias corretoras. E o blog também recebe uma comissão pelas vendas sem alterar o seu custo.

Seguro viagem europa 468x60

24 Comentários
Você também pode gostar....
Park Güell – Barcelona
26 de dezembro de 2016
Ponte Vecchio – Florença
7 de dezembro de 2016
Piazza Del Campo – Siena
9 de novembro de 2016
EUROPA, ITÁLIA, Murano

Murano-Itália

Meu primeiro e inesquecível dia na Itália, cinco horas de uma tarde que já começava a ficar bem friozinha. Cheguei para a vendedora de passagens de vaporetos, com receio, mas louca de vontade de testar meu italiano:

-Gostaria de cinco tickets para Murano.

-NÃOOOOOOO! Não vá para lá agora!

-Por quê? Falei baixinho, achando que já tinha dito bobagem.

-Se você for agora quando chegar as fábricas de vidro já vão estar fechadas. Aproveite a noite em Veneza e deixe para ir amanhã a Murano, não vai ter NADA para ver lá agora.

Mas o outro dia já estava cheio de programações em Veneza, então Murano era agora ou talvez, nunca. A Dana me olhou e disse: vamos de qualquer jeito, nós queremos ver a cidade e não as fábricas.

Bendita teimosia nossa.  -Quero os cinco tickets. Ida e volta.

Murano- Itália

ilhas-veneza

murano-ilha

E fomos conhecer Murano, ao anoitecer, sem nenhuma fábrica aberta, para falar a verdade sem NENHUM turista nas ruas.

Foi simplesmente assim: Uma mini Veneza só para nós!

murano-italia

murano-fabricasMurano só para nós….

Murano

lagoa-veneza

Murano é uma ilha que fica a 1 km de distância de Veneza. Hoje com cerca de 5 mil habitantes, é na verdade um conjunto de  sete pequenas ilhas interligadas por várias pontes.

murano-ponte

No ano de 1291 lá se estabeleceram as fábricas de vidros depois de terem sido obrigadas a se mudarem de Veneza por causa do risco que colocavam à cidade. 

murano-lagoa

Os grandes fornos à lenha podiam facilmente por fogo no local, já que naquela época a maioria das construções ainda eram de madeira.

murano

O Vidro de Murano

A tradição e a criação de vidros em Veneza nasceu do contato com as culturas bizantinas e islâmicas. Como as técnicas eram passadas de pai para filho, rapidamente a cidade acumulou importantes produtores de vidros e cristais.

murano-vidrosVitrines das lojas de Murano.

Por um bom tempo eram os únicos europeus a produzir espelhos de vidro, além de que os artesãos começaram a desenvolver diversas novas técnicas como a do Cristal Aventurine (vidro com fios de ouro), tornando os trabalhos de Murano únicos e famosos por toda a Europa.

lojas-vidro-murano

Também inventaram o vidro esmaltado, o vidro Millefiore (multicolorido) e o Lattimo (leitoso).

Hoje existe um selo de autenticação o “Vetro Artistico Murano” usado por cerca de 50 empresas, mas o número de vidraçarias é muito maior.

murano-portaDetalhe nas casa de Murano em vidro.

Apesar de conseguirem reproduzir qualquer peça em vidro, o utensílio mais conhecido de Murano ainda é o lustre. Giuseppe Briati foi o criador do Rezzonico Chandelier com vários braços e ornamentos. Foi uma encomenda da família Rezzonico (daí o nome) para a entrada de seu palácio. Hoje o palácio é o Museu Ca Rezzonico, no Grande Canal de Veneza.

brustolon-room-chandelier-ca-rezzonicoLustre no Museu Ca Rezzonico (1730). Com 20 castiçais é um dos poucos originais de Giuseppe Briati que restaram. Foto site: www.mikestravelguide.com.

O Que Ver em Murano

Duomo Santa Maria e São Donato: A igreja que começou a ser construída pelos primeiros refugiados das Invasões Bárbaras era dedicada apenas a Santa Maria. Só em 1125 quando a igreja recebeu o corpo de São Donato é que seu nome foi acrescentado. Reza a lenda que junto do corpo do Santo estão enterrados os ossos do Dragão que ele matou. 

santa-maria-sao-donato

duomo-murano

Apesar de parecer muito simples por fora, o interior é muito bonito e partes dele são revestidos de mosaicos dourados. Acabamos só espiando pela porta e não entramos porque tinha uma turma de crianças tendo catequese com um padre, aí achamos melhor não atrapalhar.

murano-campanarioCampanário da Igreja Santa Maria e São Donato.

Igreja São Pedro Mártir: É a segunda igreja mais importante da Ilha. Muito visitada por suas pinturas de Tintoretto, Giovanni Bellini e Paolo Veronese.

murano-sao-pedro-martirIgreja São Pedro Mártir.

Museu do Vidro: Foi criado em 1861 e fica no Palácio dos Bispos de Torcello (Palazzo Giustinian). A coleção tem importantes peças encontradas em escavações arqueológicas até peças modernas criadas por atuais vidraceiros. Esse ano o Museu reabriu com um novo acervo que estava guardado, além de anexar uma antiga fábrica de vidro para receber exposições sobre a história ligada as fábricas e artistas da Ilha.    

Palácio da Mula: Uma das mais antigas e nobres construções ainda em pé de Murano. O Palácio em estilo gótico mostra todos os adornos característicos da arquitetura veneziana. Murano foi uma cidade de férias das famílias ricas de Veneza, por isso construíam casas tão bonita no Grande Canal. Monet em sua única viagem a Itália fez duas pinturas desse palácio. Ele é aberto apenas em ocasiões de exposições artísticas.

palazzo-mulaPalácio da Mula e uma Fábrica de vidros. 

Fábricas de Vidro: São diversas as fábricas que recebem os turistas. Durante o dia é só descer do vaporeto que você já vai ouvir convites para ver como o vidro é feito e visitar as lojas maravilhosas de Murano. Não pegamos nenhuma fábrica aberta e vimos uma demonstração nos fornos de Veneza mesmo, mas foi bem simples, o que valeu a pena foi entrar em uma loja com inúmeros objetos em vidro e cristal e conhecer a variedade e criatividade dos artesãos.

Esculturas de vidro: espalhadas pela cidade você encontra grandes e coloridas esculturas. O divertido é encontrar elas ao acaso, como essa que a gente viu ao lado da Igreja São Pedro Mártir.

murano-esculturas

CURIOSIDADES:

  • Murano chegou a cunhar a própria moeda, ao contrário das outras ilhas que sempre foram dependentes de Veneza.
  • No seu auge, Murano tinha 30 mil habitantes e 17 Igrejas. Hoje restaram apenas 4 delas na ilha.
  • A técnica dos vidraceiros era tão admirada (e secreta) que Veneza chegou a proibir a saída de qualquer artesão da Ilha, sob pena até de morte.
  • Nesse período as filhas dos fabricantes eram autorizadas a se casar com qualquer membro da nobreza, (naquela época os nobres tinham até sangue azul heim).

murano-casasAntigo casarão da nobreza de Veneza.

  • O documento mais antigo de uma vidraçaria em Veneza é do ano 982, onde o vidraceiro foi testemunha em uma doação. Mas existem vestígios na ilha de Torcello do século VII de prática dessa atividade.
  • A fábrica mais antiga que permanece em funcionamento é a Antica Vetreria Fratelli, fundada em 1854.

www.fratellitoso.itVasos da loja Fratelli Toso feitos com a técnica chamada Murrina – Foto site: www.fratellitoso.it.

Voltamos para o hotel sem nenhum arrependimento de ter ido até lá. Conhecemos Murano como se fosse uma cidadezinha do interior, onde todos os moradores nos davam “Buonna Notte” com um cordial sorriso, enquanto saiam de suas casas para passear com o cachorro ou para ir até a padaria. E assim termina meu primeiro e inesquecível dia na Itália.

murano-noiteMurano ao anoitecer e seus amigáveis moradores.

veneza-murano

murano-veneza

Informações Úteis:

Para chegar em Murano é preciso pegar o vaporeto em Veneza. A forma mais rápida de chegar é com a linha amarela escuro (03) que vai direto sem parar em todos os pontos. Saindo da Estação central Santa Lucia leva cerca de 30 minutos. Desça na estação Murano Museo que fica bem no centro do Grande Canal da ilha. Não esqueça de validar o Ticket antes de entrar no vaporeto nas maquininhas que ficam na entrada das estações. 

Reserve seu Hotel na Itália aqui no Banner do site Booking. Você não paga a mais por isso, mas ajuda a manter o Blog no ar, pois recebemos um comissão através da parceria com o Booking. 🙂

2 Comentários
Você também pode gostar....
Park Güell – Barcelona
26 de dezembro de 2016
Ponte Vecchio – Florença
7 de dezembro de 2016
Piazza Del Campo – Siena
9 de novembro de 2016
EUROPA, ITÁLIA, Veneza

Museu San Marco – Veneza

Já ouvi muita gente dizendo que Veneza se visita em um dia só, eu inclusive só fiquei um dia na cidade, mas a verdade é que Veneza tem vários lugares incríveis para se ver com mais tempo. Um deles é subir o segundo andar da Basílica para conhecer o Museu San Marco (leia o post sobre a Basílica aqui).

Museu San Marco – Veneza

praça-sao-marcos

A entrada na Basílica é gratuita, mas o museu é pago, deve ser por isso que estava completamente vazio (museu vazio é sempre mais legal), e o acesso é por uma pequena porta com uma escada (nada light, mas minha mãe deu conta) no átrio da igreja.

basilica-veneza

Achei muito interessante esse lugar porque você não vai pagar só para ir ao Museu, mas vai ver bem de pertinho os mosaicos dourados da Igreja, vai ver os quatro cavalos originais dos que estão na fachada da Basílica e vai ter uma vista incrível da Praça San Marco (leia o post da Praça aqui), do Palácio Ducal, do Cais e da Ilha de São Jorge. Para quem assim como eu, não se animar em subir o campanário acho que é uma ótima opção para ter uma vista linda de Veneza.

veneza

porta-della-carta veneza-relogio

torre-venezaVista para a Praça São Marcos e o Campanário.

O Museu San Marco

A primeira área do Museu são as sacadas internas da Basílica, onde se podem admirar com todos os detalhes os mosaicos bem de pertinho, inclusive o desgaste deles.

mosaicos-san-marcoDetalhes dos mosaicos no segundo andar. Foto Site: www.wga.hu

As outras salas guardam na sua maior parte objetos antigos que pertenciam a Igreja e ao Palácio e partes que foram substituídas durante as restaurações dos mosaicos e das esculturas.

A sala do Banquete é o cômodo que ligava a Igreja ao Palácio Ducal, nela estão os livros de partituras musicais do século XV, que são praticamente obras de arte. Também uma das únicas pinturas da Basílica a “Madona do Leite” e uma das tampas que cobriam o Pala de Oro (obra que está atrás do altar) com imagens que contam a historia de São Marcos.

Lá também estão alguns desenhos geométricos do chão da Basílica, tapeçarias veneziana, florentina e persa, além de duas vestes clericais bizantinas, bordadas com fios de ouro e prata, do século XII. 

Durante uma reforma em 2001, outras passagens foram descobertas que ligam essa sala com outras partes da Basílica ao Palácio.

Na sala Coleção Onganía há vários desenhos e esboços que foram feitos durante a construção da Basílica e depois de pronta. O que mais chama a atenção é uma imagem da Basílica antes de ser coberta de mármore, quando ainda era revestida de tijolo á vista.  

ongania-veneza.jpegGravuras e desenhos do piso da Basílica. Foto site: www.ongania-sanmarco.it

O nome dessa sala é em homenagem a Ferdinand Onganía, um importante editor que em 1881 documentou todas as obras da Basílica depois de uma parte dos mosaicos terem se perdido nas restaurações. Com a ajuda de outros especialistas como ilustradores e fotógrafos foram reproduzidos cada detalhe artístico da Igreja, inclusive foram feitas as primeiras fotografias. Além disso, Onganía fez um levantamento de obras antigas para poder registrar o original.  Hoje qualquer restauração feita na Basílica é antes consultada nesta coleção, para que nada seja alterado.

coleçao-onganiaFoto site: www.ongania-sanmarco.it

Essa restauração dura a anos e para se ter uma idéia se 2 pessoas trabalham em 1 metro quadrado, eles levam até 7 anos para terminar.

Os Cavalos de São Marcos

Os Cavalos que estão dentro do museu, desde 1982 são os originais, e são consideradas as peças de arte mais importantes de Veneza.

veneza-cavalosRéplicas no lado de fora da Basílica.

São quatro cavalos em tamanho real e feitos de bronze. A cobertura dourada está toda arranhada, pois brilhavam demais quando batia o sol e foi intencionalmente riscada.

Acreditasse que tenham sido roubados do Hipódromo de Constantinopla durante a Quarta Cruzada e que antes disso fez parte do Arco de Trajano em Roma. Também foram parar em Paris, quando Napoleão mandou colocar no Arco do Triunfo do Carrossel (hoje réplicas estão lá).

 A Vista de Veneza

veneza-porto

A saída para as sacadas externa é feita bem pela frente da Basílica, onde estão as réplicas dos 4 cavalos.  Dá para percorrer toda a fachada e um pouco das duas laterais. Lá de cima dá pra sentir todo o clima da praça considerada a mais charmosa da Itália. Essa é a única parte do museu que é permitido fotografar, então ao invés de contar vou só mostrar!!!!

veneza-praça veneza-cais porta-palacio-ducalDetalhes da Porta Della Carta – Palácio Ducal

vista-venezaveneza-porta-palacio

palacio-patriarcalVista para o Palácio Patriarcal.

Informações Úteis

Praça São Marcos – 328 – Veneza

Horários: 9:45 às 4:45

Valor: 5€ inteira.

Site oficial: www.museosanmarco.it

Aqui tem mais lugares legais que conhecemos em Veneza

Acompanhe as novidades do blog também pelo nosso Facebook e Instagram

Reserve seu Hotel em Veneza aqui no Banner do site Booking. Você não paga a mais por isso, mas ajuda a manter o Blog no ar, pois recebemos um comissão através da parceria com o Booking. 🙂

E se precisa alugar um carro na Itália é só pesquisar aqui na RENTALCARS. Você aluga um carro com uma empresa segura, ajuda o Blog e passeia tranquilo pelas lindas cidades italianas.

Não esqueça de comprar seu seguro antes de viajar. A REAL SEGURO VIAGEM tem um buscador que compara os preços em várias corretoras. E o blog também recebe uma comissão pelas vendas sem alterar o seu custo.

Seguro viagem europa 468x60

 

Deixe um comentário
Você também pode gostar....
Catedral Primada de Toledo – Espanha
5 de maio de 2015
Basílica São Marcos – Veneza
24 de julho de 2014
Praça São Marcos – Veneza
20 de julho de 2014