Tag

Las Vegas

AMÉRICA DO NORTE, ESTADOS UNIDOS

Grand Canyon – EUA

Fazer um bate e volta de Las Vegas ao Grand Canyon era uma grande dúvida. Dá tempo em um dia? Vale a pena? E se dormir no caminho? Melhor ir de helicóptero? No post explico isso tudo, mas já adianto: nenhuma foto demonstra a magnitude do lugar!

Grand Canyon – EUA

O Grand Canyon fica localizado no Arizona, nos Estados Unidos. É uma formação rochosa que ao longo de mais de 2 bilhões de anos o Rio Colorado foi ‘cortando’ e transformou no que vemos hoje, vários canais. Hoje existe o enorme Parque Internacional do Grand Canyon, com uma área de 446 km de comprimento totalmente cuidada pelos índios. Toda a renda adquirida na entrada, no restaurante, na lojinha, em TODO o comércio, é para os índios – que inclusive não precisam pagar imposto ao governo americano.

É possível visitar vários ‘lados’ do Grand Canyon. South Rim, North Rim e West Rim. E foi aqui que eu fiquei confusa quando tentava programar o passeio. Só tínhamos um dia disponível e tínhamos carro alugado, então não fazia sentido pagar uma excursão ou até mesmo o preço salgado do passeio de helicóptero.
A opção mais viável para quem está nessas condições é certamente ir até WEST RIM que fica a 195 km de Las Vegas e dá um pouco mais de 2 horas de viagem, com uma paisagem incrível praticamente só de deserto. Tínhamos a rota impressa caso o GPS achasse legal nos mandar para o deserto adentro sem posto de gasolina ou hotéis próximos, mas o GPS foi fiel e a sinalização é eficaz.

Em 1988 os Índios Hualapai passavam por dificuldades e resolveram abrir suas terras a visitantes sabendo do potencial turístico do local, assim criaram o Grand Canyon West.

Já que o trajeto Las Vegas/West Rim é relativamente perto, aproveitamos fazer uma parada no caminho na famosa represa ‘Roover Dam’. A represa faz divisa entre os estados Nevada e Arizona.

Chegando a Reserva Americana de Índios Hualapai compramos o ingresso Gold que dá acesso a entrada+almoço+Skywalk (aquela passarela suspensa com o chão todo de vidro).

Grand Canyon – West Rim

Ponto Inicial
Aqui já tem lojinha climatizada, banheiros, venda de ingresso – tudo muito organizado pelos Índios – e o início do tour de ônibus pela reserva com 3 paradas: Hualapai Ranch, Skywalk / Eagle Point e Guano Point. São vários ônibus climatizados fazendo constantemente esses trajetos, você pode ir e voltar para cada ponto quantas vezes quiser. Inclusive em todas as paradas tem lojinhas, banheiros e local para almoço.

Primeira Parada – Skywalk / Eagle Point

Em 2007 foi construída essa passarela – a Skywalk – em forma de U com o chão todo em vidro justamente para aumentar o chamariz turístico. O slogan do local não mente: “Caminhe entre as nuvens”. Se dá medo?? Dáá, mas vale muito a pena.

Skywalk ali no cantinho

Mesmo com o ingresso comprado a fila é enorme, tem que ter paciência. Durante a fila começa a preparação para o dia de modelo. Não entendeu? Eu explico! É proibido levar câmera ou celulares porque lá tem uns 4 fotógrafos profissionais, então suas câmeras já ficam em um guarda volume. Na sequência, você é orientado a colocar protetores de pé e aí então começa o desfile na passarela, com um fotografo específico para cada grupo fazendo um verdadeiro BOOK em todas as poses possíveis, relembrando agora parece hilário hahaahah mas novamente, vale a pena. Claro que no final você se obriga a comprar um dos registros. 

A Skywalk fica a 1220 metros acima do rio e com total vista do Eagle Point, que é uma linda formação rochosa em formato de águia. Essa você pode fotografar com calma depois de sair da passarela e em seguida fazer um passeio pela recriação de uma Vila nativa dos índios.

Recriação de uma Vila Indígena

Segunda Parada – Hualapai Ranch

Mesmo a Skywalk e o Hualapai Ranch ficarem mais distantes, resolvemos ir até lá para almoçar, já que no mapa indicava que lá está uma recriação das casas do ‘Velho Oeste’, mas depois de visitar a Calico Ghost Town (leia o post aqui), esse passeio ficou bem sem graça.


Foi uma visita rápida. O almoço com bebida estava incluído no ingresso Gold que compramos  – uma espécie de buffet americano, daqueles que você pode escolher entre umas 5 opções de comida – e o restaurante estava relativamente vazio.
Em Hualapai Ranch é possível pernoitar reservando cabanas.

Terceira Parada – Guano Point

A formação rochosa da Águia é linda, mas a vista que se tem aqui em Guano Point foi o que me fez perceber que estava mesmo no Grand Canyon. O rio fazendo seu curso e demarcando as rochas é uma visão inesquecível.
Aqui é possível ver o pedacinho de uma antiga estrutura da Mina Guano.

Dicas:
– Chegando de carro a West Rim ainda é possível fazer o passeio de helicóptero com a opção de desembarcar lá dentro do Canyon e fazer um passeio de barco pelo Rio Colorado com comida incluída ou para quem desejar ainda podem fazer rafting.
– Importante!!! Não há nenhuma segurança entre o limite do chão e o precipício, nem uma cordinha sequer. Por todo o passeio há placas indicando que o parque não se responsabiliza por acidentes. Vale a pena ter um cuidado redobrado e não chegar próximo ao limite.

Informações Úteis:

Site de informações: www.grandcanyonwest.com
Site oficial: www.nps.gov/grca/index.htm

Valor:
Entrada $46,95
Entrada+almoço+Skywalk $71,38

Para saber mais sobre os índios Hualapaiwww.hualapai-nsn.gov

Reserve seu Hotel na California aqui pelo site BOOKING. Você não paga a mais por isso, mas ajuda a manter o Blog no ar, pois recebemos uma comissão através da parceria com o Booking 🙂

E se precisa alugar um carro é só pesquisar aqui na RENTALCARS. Você aluga um carro com uma empresa segura, ajuda o Blog e passeia tranquilo pela sua Trip nos Estados Unidos.

Não esqueça de comprar seu seguro antes de viajar. A REAL SEGURO VIAGEM tem um buscador que compara os preços em várias corretoras. E o blog também recebe uma comissão pelas vendas sem alterar o seu custo.

3 Comentários
Você também pode gostar....
Calico Ghost Town – EUA
13 de dezembro de 2016
Trip pela Costa Oeste dos EUA
13 de abril de 2016
Museu do Ar e Espaço – Washington D.C.
28 de março de 2016
AMÉRICA DO NORTE, CALIFORNIA, ESTADOS UNIDOS

Calico Ghost Town – EUA

Na Califórnia, próximo a Las Vegas, está localizada uma das cidades fantasma dos EUA – Calico.

Calico Ghost Town – EUA

calico-ghost

Programamos a parada para conhecer a cidade durante a viagem de San Diego a Las Vegas. Havia lido sobre o calor, mas durante a viagem no ar condicionado do carro não lembrei desse detalhe. Avistamos a placa “Calico Ghost Town” e já paramos para tirar foto. Quando saímos do carro só conseguia pensar “Agora entendi porque a cidade é fantasma” Que calor! Aquele bafo mais parecia o inferno na terra! Tudo bem que sou exagerada, mas para exemplificar: a lente da câmera embaçava!

calico-restaurante

A cidade possui alguns restaurantes e lojinhas de souvenires. Para almoçar escolhemos o primeiro restaurante, não sei se os outros seriam melhores, mas o desejo era muito grande por um ar condicionado! O restaurante ‘Calico House’ era muito legal e temático, totalmente ‘Velho Oeste’, potinho com amendoim em todas as mesas, daqueles na casca ainda, e todas as cascas são jogadas no chão. A bebida vinha em um pote de conserva e o cardápio era bem variado. Músicas típicas ficam tocando e um piano antigo fica a disposição para quem quiser tocar um ‘can-can’.

calico-house-restaurante

Como a cidade virou fantasma?

A cidade fica localizada no Deserto do Mojave e foi fundada em 1881 por um único motivo: a exploração da mineração de prata. Chegou a ter 1200 habitantes, mas doze anos depois da sua inauguração o preço da prata baixou muito e a emigração começou a ocorrer, tornando assim a cidade em fantasma. A cidade foi comprada e reformada em 1950 por Walter Knott. Walter manteve os 5 prédios principais (Lil’s Sallon, Town Office, Lucy Lane House,  Smitty’s Gallery e o Joe’s Saloon) e esse foi um dos principais motivos que quis conhecer, para saber exatamente como era na época do faroeste.

calico-cidade-fantasma

Em 2005, o governador Arnold Schwarzenegger proclamou Calico como “a cidade fantasma da prata da precipitação de Califórnia”

Hoje o local é totalmente turístico, inclusive a entrada é paga.

Atrações de Calico Ghost Town

Subir a Avenida principal já é uma atração em si com lojinhas típicas, prisão, sallons e muitos locais divertidos para tirar fotos.

calico-atracoes

Há passeio de Trem, trilhas, museu, passeios a cavalo e até um Ghost Tours que são passeios feitos a noite com guia contando algumas histórias de fantasmas.

calico-turismo

Ao final da Main Street é possível subir um morro e ter uma excelente vista panorâmica da cidade e do deserto (também é possível ter uma insolação, não há sombra alguma).

calico-ghost-town

No seu auge, Calico possuía 500 minas de prata, muitas entradas estão visíveis pela cidade, mas o acesso só é possível com guia e reserva do tour.

calico-mina-prata

Curiosidades:

  • A cidade possui pouquíssimos habitantes, todos os outros que encontramos por lá moram em cidades próximas e estavam lá apenas a trabalho.
  • No Grand Canyon há uma recriação das cidades do ‘Velho Oeste’ mas bem sem graça depois de conhecer Calico.

Informações Úteis:

Site oficial: www.calicotown.com

Site para tour: www.calicoghosttours.com

Horários: Aberto diariamente das 9h as 17h (com exceção do Natal)

Valor: Adulto $8. De 6 a 15 anos $5

Reserve seu Hotel em Las Vegas aqui pelo site BOOKING. Você não paga a mais por isso, mas ajuda a manter o Blog no ar, pois recebemos uma comissão através da parceria com o Booking 🙂

E se precisa alugar um carro é só pesquisar aqui na RENTALCARS. Você aluga um carro com uma empresa segura, ajuda o Blog e passeia tranquilo pela sua Trip nos Estados Unidos.

Não esqueça de comprar seu seguro antes de viajar. A REAL SEGURO VIAGEM tem um buscador que compara os preços em várias corretoras. E o blog também recebe uma comissão pelas vendas sem alterar o seu custo.

Seguro viagem america do norte 468x60

2 Comentários
Você também pode gostar....
Grand Canyon – EUA
2 de abril de 2017
Trip pela Costa Oeste dos EUA
13 de abril de 2016
Museu do Ar e Espaço – Washington D.C.
28 de março de 2016
AMÉRICA DO NORTE, CALIFORNIA, ESTADOS UNIDOS

Trip pela Costa Oeste dos EUA

Califórnia – Las Vegas – Grand Canyon

Depois de ter conhecido a Costa Leste dos EUA (leia aqui o post) chegou a hora de visitar o lado oposto do país e conhecer a Califórnia. E quando digo “oposto” leiam no sentido mais literal da palavra, não só geograficamente, mas em todos os detalhes. Culturalmente, visualmente e infelizmente, o que ainda não tínhamos visto nos EUA, muita pobreza, inclusive pessoas desabrigadas :/

mapa-costa-leste

Antes de contar nossa trajetória detalhada, vou abrir um parênteses aqui para contar que nossa viagem começou bem ‘errada’. O avião estragou (ainda no chão) e após 4 horas dentro do avião informaram que aquela aeronave não decolaria (naquela hora ninguém mais queria que ela voasse mesmo #medo). A empresa Aeroméxico acomodou todos os passageiros em hotel próximo ao aeroporto e distribuiu voucher de comida e táxi. Depois de umas 12 horas outro avião chegou e fomos embarcados. Já costumávamos fazer a programação de viagem com o primeiro dia mais folgado, e nesse caso comprovamos que foi importante já que com isso perdemos nossa escala no México (novamente recebemos voucher de comida e hotel) e consequentemente a reserva do carro em Los Angeles. Depois de todos os perrengues resolvidos, era hora de esquecer que estávamos super cansados e botar o pé na estrada. Tínhamos 13 dias de viagem mas com o atraso do vôo perdemos mais de um dia inteiro e isso resultou em espremer um pouquinho o roteiro em San Diego que foi por onde começamos a viagem.

pacific-beachPier com casas em Pacific Beach – San Diego

San Diego

Reservamos casa pelo site Airbnb e tudo correu bem. Havíamos informado que iríamos nos atrasar e a dona da casa sempre respondia muito solícita.

casa-airbnb-san-diego

rodoviaTrânsito entre Los Angeles e San Diego

sunset-san-diego

Pôr do Sol em Pacific Beach

Em San Diego nosso roteiro ficou assim:

Lembra da praia do filme Marley e Eu? É a Dogs Beach. Eu como uma pessoa louca por cachorros tive vontade de sair abraçando todos, mesmo aqueles cheios de areia. É muito divertido ficar olhando os cães livres na areia e na água. O único porém nessa praia é que embora os donos cuidem quando os cães fazem suas necessidades, a praia tem um cheiro um pouco desagradável.

dog-beach

Separado por apenas uma casa de salva vidas está a Ocean Beach. Praia de surfistas onde os cães NÃO podem ir, e até parece que eles entendem.

ocean-beach

Ocean Beach a esquerda, e Dogs Beach a direita

Passamos por Carlsbad (voltamos aqui outro dia ao Outlet da cidade), Dana Point (que luxo ter uma praia com meu apelido kkkk), Laguna Beach e finalmente chegamos em Newport Beach para ver mais um paradisíaco Pôr do Sol.

dana-point sunset-newport

Pôr do Sol em Newport Beach

Fomos um dia até o Las Americas Premium Outlet que fica exatamente na divisa de San Diego com Tihuana/México. Exatamente mesmo! A parede do Outlet é a divisa dos países. É quase irônico ver tantas lojas de marca e logo a frente enxergar uma cidade tão pobre.

las-americas-outlet

Ao fundo, parede que divide os países

Balboa Park – é um parque museu com 500 hectares podendo ser visitado 15 tipos de museus, parques, fontes e jardim botânico. Fomos no final de semana e os museus estavam fechados. Mas passeamos ao ar livre e pudemos ver apresentações de teatro na rua, criançada se refrescando nas fontes e até uma sessão de fotos com cobras – que no caso eu só observei a uns 500 metros pronta pra correr kkkkk (não vou colocar a foto aqui por respeito a minha irmã que tem fobia a cobra hahahaha)

balboa-park-museu

balboa-park-construcao

balboa-park

Visitamos o San Diego Military Memorial que além de memorial é um cemitério para os militares. Não gosto muito de visitar cemitérios, mas o fato de ter apenas lápides brancas, organizadas e com uma vista incrível, faz com que transmita uma sensação de calma.

san-diego-military-memorial

O Mount Soledad War Memorial, embora fique bem longe do San Diego Military Memorial, fica também no topo de um morro e vale a visita pela vista sem dúvida.

mount-soledad

mount-soledad-war-memorial

Vista do Mount Soledad

USS Midway Post – é um museu porta aviões e a entrada custa U$20 e digo, vale cada dólar. Mesmo tendo muito tempo para visitá-lo, não conseguimos conhecer ele todo. São tantos andares e detalhes que é possível se perder lá dentro. Com certeza ele vai merecer um post só para ele. Junto com ele há a famosa estátua que eterniza a foto do beijo entre um marinheiro e uma enfermeira ao fim da segunda guerra.

uss-midway

Sunset Cliffs – O local é lindo, mas haviam algumas nuvens. Mesmo assim, quando o sol se põe todos batem palma e o momento se torna inesquecível.

sunset-cliffs

Passamos rapidamente por Seaport Village e Gaslamp Quarter, locais bem badalados a noite para jantar e dar um passeio.

seaport-village gaslamp-quarter

Ainda em San Diego aproveitamos um dia na praia La Jolla que é uma das localidades mais ricas de lá. Terminamos o dia em Mission Beach onde tem o Belmont Park com uma montanha russa de madeira muito charmosa. Ao lado há a Wave House com uma piscina que simula ondas, estava rolando até um campeonato de surf e aos domingos há uma baladinha por lá.

sunset-mission-beachPôr do Sol em Mission Beach

belmont-park

Pôr do Sol em Belmont Park

De San Diego seguimos rumo a Las Vegas. Na ida paramos em San Clemente e em Calico Ghost Town, que como o nome já diz, é uma cidade fantasma.

san-clemente calico-ghost-town

Vista de Calico Ghost Town

calico-ghost

 energia-solar-las-vegas

Usina Solar antes de chegar em Las Vegas. Gera energia para grande parte da cidade

Las Vegas

las-vegas-letreiro

Ficamos hospedados no Hotel Stratosphere onde tem o parque de diversões mais alto do mundo!

las-vegas-stratosphere

Em Vegas nossa programação era basicamente entrar na maioria dos hotéis porque eles são uma atração turística em si, ir em uma balada, por que afinal, estávamos em Vegas Baby! E ir em algum espetáculo do Cirque du Soleil. Com o calor escaldante que faz em Las Vegas – e chegamos a pegar 48 graus durante o dia – a visitação aos hotéis é facilitada devido a presença de passagens através de corredores sempre climatizados ligando uns aos outros. A  noite era possível passear pela Strip, principal avenida, quando o clima ficava mais ameno e mesmo assim pegamos 39 graus a meia noite.

las-vegas-fonte-bellagioFontes em frente ao Hotel Bellagio que dançam conforme a música alterando a cada 15 minutos

Dica da balada: no hotel Caesers rola uma das principais baladas de Vegas, Omnia Nightclub. Para quem não estiver afim de pagar 100 dólares (ou mais) por pessoa para se divertir, vá a tarde, ache o promoter em frente a entrada e peça (isso mesmo, peça descaradamente) para colocar seu nome na lista! Conseguimos gratuito para nós 4. Vale a pena! Na balada há um espaço externo com vista para a Strip e 3 espaços internos com sons diferentes. A estrutura é sensacional, o lustre de um dos espaços dança conforme a música, só vendo pessoalmente com a música alta e aquele clima de festa que é possível entender.

 omnia-las-vegasTerraço e vista de fora do Omnia

Sobre o show do Cirque du Soleil, escolhemos o show LOVE com trilha sonora dos Beatles. Arriscamos e deixamos para comprar o ingresso lá. Conseguimos uma poltrona super na frente pela metade do preço e saímos encantados com o espetáculo. Para quem gosta de Beatles, então, não pode perder!

las-vegasTeto do Hotel Bellagio feito em Cristal de Murano/Itália e entrada para o espetáculo Cirque du Soleil no Hotel Mirage

Fizemos um bate volta de carro até o Grand Canyon. Saímos cedinho de Vegas e levamos 3 horas até lá com parada na Hoover Dam que fica no caminho.

Hoover Dam – a represa faz divisa entre os estados Nevada e Arizona. A dica aqui é: não estacione no primeiro estacionamento que avistar, ele é pago. Passe a ponte da represa e logo terá estacionamentos gratuitos! Volte a pé até a ponte, vale muito a pena a vista!

hoover-damDetalhe para a marca do nível do rio, bem abaixo do normal

Grand Canyon – nessa visita confirmo minha ideia que se é Patrimônio da Humanidade da UNESCO tem que ser visitado! Nesse post conto como chegamos, qual visita compramos etc.

grand-canyon

Los Angeles

No caminho, já chegando a Los Angeles, fizemos uma parada no Carlson Outlet. Em Long Beach, alugamos novamente casa pelo Airbnb, e nesta, a dona já não foi das mais amigáveis  – mero detalhe.

casa-airbnb-los-angeles

Quando definimos que iríamos a Los Angeles, eu só tinha uma certeza: não poderia ir para o país de Hollywood e não conhecer um estúdio de cinema. Entre as opções que podem ser visitadas, as mais famosas são a Sony, a Warner e a Universal. Como não teria tempo para visitar todas, escolhi a Universal pelo fato que junto há o parque. Passamos um dia inteiro lá e a dica aqui é: NÃO vá ao sábado :/ Estava lotado! Em nenhum parque de Orlando pegamos tantas filas. Durante a tarde toda conseguimos fazer 3 brinquedos e o tour pelo estúdio, que é um passeio de trem que dura em torno 50 minutos. O Trem passa por vários cenários de filmes e seriados, como Bates Motel, Guerra dos Mundos e Jurassic Park e ainda para em brinquedos 3D como Velozes e Furiosos, tudo sem sair do trenzinho.

universal-los-angeles

Quando faltava 1 hora para fechar, o parque começou a esvaziar e conseguimos fazer o restante dos brinquedos, mas foi muito corrido.

 universal-hollywoodEscadas rolantes para acessar o outro nível onde há mais brinquedos e a entrada para o Studio Tour (atrás é possível ver castelo do Harry Potter que estava em construção)

Em Los Angeles ainda fomos na Calçada da Fama, no teatro do oscar – Dolby Theatre, passeamos pelas ricas ruas de Beverly HilssRodeo Drive,  e os meninos foram visitar a Space Shuttle Endevour, um ônibus espacial que se encontra no California Science Center, precisa comprar ingresso com hora marcada e custa apenas U$ 2,00.

oscar-dolby-theatre calcada-famaUm pedacinho da calçada da Fama que se estende pelas ruas de Hollywood Boulevard

endevour

Ônibus Espacial Endevour

Subimos até o Griffith Observatory mas como era segunda-feira estava fechado. Em seguida fomos em busca do melhor ponto de visualização do famoso letreiro Hollywood, já que não é mais possível chegar até ele. Essa parada foi no endereço: ‘3119 Canyon Lake Dr’

hollywood-letreirogriffith-observatoryGriffith Observatory

Ainda visitamos algumas praias de Los Angeles:

Malibu – aquela em que era filmado SOS Malibu (ou Baywatch) em que a atriz Pamela Anderson ficou super conhecida pela cena épica dela de salva-vidas correndo de maiô vermelho pela praia.

malibu-pier

Venice – com seu calçadão altamente diversificado, é possível perder muito tempo ali vendo pessoas de todos os tipos, alguns até fumando maconha, outros se apresentando com violão, andando de skate e bike, etc.

venice

venice-ponte

Ponte onde foi filmado cenas do seriado Californication

Santa Mônica – aqui fica o Pier lindo onde marca o fim da famosa Rota 66 e onde há um parque de diversões. O Pier fica lotado de pessoas pescando e artistas cantando ou fazendo pinturas.

santa-monica-pier

Long Beach – Pegamos bikes na casa e exploramos um pouco a localidade. A praia e a região são muito agradáveis.

sunset-long-beach

Curiosidade: a água do Pacífico é MUITO gelada. E fomos em Agosto, alto verão. Então se quiser entrar na água, ou tem que ser surfista ou corajoso rsrsrs.

Reserve seu Hotel na Califórnia aqui pelo site Booking. Você não paga a mais por isso, mas ajuda a manter o Blog no ar, pois recebemos uma comissão através da parceria com o Booking 🙂

E se precisa alugar um carro é só pesquisar aqui na RENTALCARS. Você aluga um carro com uma empresa segura, ajuda o Blog e passeia tranquilo pelas lindas cidades dos Estados Unidos.

Não esqueça de comprar seu seguro antes de viajar. A REAL SEGURO VIAGEM tem um buscador que compara os preços em várias corretoras. E o blog também recebe uma comissão pelas vendas sem alterar o seu custo.

Seguro viagem america do norte 468x60

6 Comentários
Você também pode gostar....
Grand Canyon – EUA
2 de abril de 2017
Calico Ghost Town – EUA
13 de dezembro de 2016
Museu do Ar e Espaço – Washington D.C.
28 de março de 2016