Barcelona, ESPANHA, EUROPA

Park Güell – Barcelona

Entre tantas obras que Gaudí deixou por Barcelona, um local que você não pode deixar de visitar é o Parque Güell. Além de ser um dos pontos turísticos mais visitados da cidade também é Patrimônio da Humanidade. São tantos mosaicos, cores e detalhes que é possível sentir a paixão que Gaudí tinha por Barcelona e pela natureza.

Park Güell – Barcelona

Um empresário de Barcelona chamado Eusebi Güell, decidiu ser o patrocinador de uma grande ideia em seu terreno de aproximadamente 200 mil m², ou seja, quase 50 campos de futebol, lá na região de Gráciaem. Ele então chamou os arquitetos Antoni Gaudí e Joan Martorell para que se criassem o que chamamos hoje de condomínio particular, com casas, praças, mercado, etc.

Gaudí então no auge da moderna Art Nouveau na Catalunha iniciou algo inovador para a burguesia, utilizando as formas da natureza com vista para o mar, caminhos, diversas plantas locais e importadas, além de criar a própria capacitação de água.

A obra iniciou rapidamente com o Palácio Guell. Gaudí mudou em 1906 para lá com seu pai e sua sobrinha. A ideia era que todos os terrenos fossem ocupados, mas devido a disposição, a distância do centro e a dificuldade de se chegar até lá, tornou inviável a continuação do projeto em 1914. Dos 60 lotes que deveriam ter casas, só 2 foram feitos.

Futuramente os herdeiros de Güell venderam o local para a prefeitura criar um Parque Municipal, aonde a casa da família de Güell tornou-se uma escola pública.

Em 1963 os amigos da Casa de Gaudí conseguiram abrir a casa para visitação, que agora é Museu.

Em 1969 foi reconhecido como um monumento artístico e em 1984 o Parque foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO.

O que ver no Parque Güell

A entrada Principal: O Parque é cercado de um muro de pedras rústicas com medalhões de cerâmica com o nome do Park Güell. Portões de ferro se abrem para as duas construções que “dizem” terem sido inspiradas no conto de “Hansel e Gretel” – João e Maria.

Hoje a casa que seria das crianças serve de portaria, administração e manutenção do Parque, a outra casa, que seria a da Bruxa da história, é a sede MUHBA (Museu de História de Barcelona).

 

Obs: o parque tem entradas laterais também.

Os Passos do Dragão: É uma escadaria que se abre em duas e ladeadas por construções em mosaicos e bem ao centro está o dragão ou salamandra a qual é o símbolo do Parque, inclusive esta é uma das esculturas mais procuradas no parque. No final da escadaria tem a Sala Hipostila.

]

Salão Hipostila: Era para ser o mercado do local, com 100 colunas, com arcos ondulados abertos ao contrário e decorados, além das rosetas no teto onde Gaudí teve a colaboração de seu amigo Josep Maria Jujol. Já naquela época desenvolveram um sistema para recolher a água da chuva e escoar para uma cisterna subterrânea. No meio do salão tem espaços abertos que dá para ver as 3 naves.

Praça da Natureza: Fica em cima da Sala Hipostila e seria o espaço para grandes eventos ao ar livre. Ele foi inspirado nos teatros gregos e seu ponto principal são os bancos curvos com mosaicos, também desenhados por Josep M. Jujol e muito disputado para fotos.

No dia da nossa visita o parque estava bem vazio (tivemos sorte), porém, o tempo estava bem fechado e não conseguimos ter uma vista bonita da cidade, quando o tempo está bom é possível ver até o mar.

Os Viadutos: No parque todo existem viadutos com estilos bem diferentes além do Algaborro em forma de onda. Tem um romântico (das Jardineiras), um gótico (dos Museus) e um barroco (da Alfarrobeira).

Viaduto do Algarrobo: É uma grande onda com colunas inclinadas duplamente. Uns dizem que parecem as contas do rosário já que as pedras são arredondadas. Em uma parte está o Pórtico da Lavadeira, esculpida nas pedras a imagem de uma lavandeira, outros já dizem que se parece com uma estátua egípcia.

Jardins Áustria: Quando se tornou parque público, era um espaço de creche municipal. O nome vem da doação de árvores deste país na exposição “Viena para Barcelona”, realizada em 1977. O jardim tem uma vista linda das duas casas, uma sendo a Casa Museu Gaudí.

Viaduto das Jardineiras: Dentro de todo o parque há 3 viadutos com 5m de largura suspensos com colunas inclinadas e ornado com muitas plantas. A intenção na época era que os moradores utilizassem para se proteger da chuva e do sol facilitando o caminho para as carruagens.

Curiosidades e Observações:

– Devido ao horário (final da tarde) não conseguimos visitar a Casa de Gaudí que já estava fechada. Para visitar a casa é pago um ingresso separado (VER VALOR). Também não subimos até o “calvário” que fica na parte mais alta do parque.

– Além de toda essa área do Parque que é possível visitar com o ingresso, há também uma grande extensão de área aberta aos moradores, aonde vimos muitas pessoas fazendo caminhadas e alguns vendedores ambulantes.

– A técnica utilizada nos mosaicos chama-se trencadís, feito com azulejos na época trazidos de Valência. Diz-se que Gaudí orientava os trabalhadores a recolher pedaços de cerâmicas e vidros pelo caminho para serem utilizados também.

– Além da entrada principal na Carrer de Larrard o parque ainda conta com mais duas entradas, uma onde os ônibus de turismos estacionam na Carretera del Carmel e outra na Passatge de Sant Josep de la Muntanya que pode-se chegar subindo por uma escada rolante.

Informações Úteis:

Site oficial: www.parkguell.cat

Horários:

30 outubro – 26 março: 8:30-18:15 (última entrada às 17:30);

27 março – 1 maio: 8:00-20:30 (última entrada às 19:30);

2 maio – 28 agosto: 8:00-21:30 (última entrada às 20:30);

29 agosto – 29 outubro: 8:00-20:30 (última entrada às 19:30).

Valor:

Entrada geral € 7. Crianças de 0 a 6 anos € 0. Crianças dos 7 aos 12 anos € 4,90. Mais de 65 anos € 4,90.

Reserve seu Hotel em Barcelona aqui pelo site BOOKING. Você não paga a mais por isso, mas ajuda a manter o Blog no ar, pois recebemos uma comissão através da parceria com o Booking 🙂

E se precisa alugar um carro pesquise aqui na RENTALCARS. Você aluga um carro com uma empresa segura, ajuda o Blog e passeia tranquilo pela linda cidade de Barcelona.

Não esqueça de comprar seu seguro antes de viajar. A REAL SEGURO VIAGEM tem um buscador que compara os preços em várias corretoras. E o blog também recebe uma comissão pelas vendas sem alterar o seu custo.

Seguro viagem europa 468x60