AMÉRICA DO SUL, BRASIL, Rio Grande do Sul

Ametista do Sul – RS

Nesse começo de ano resolvi conhecer mais um pedacinho do Brasil. Viajei até São Miguel das Missões no extremo oeste do Rio Grande do Sul, mas como a viagem era longa, mesmo para quem mora em Santa Catarina, busquei por outras cidades para visitar no caminho e descobri a cidade encantadora de Ametista do Sul. 

Ametista do Sul – RS

Ametista do Sul é uma cidade bucólica no norte do Rio Grade do Sul, com sua origem na década de 1940, onde se descobriu que possuía as maiores jazidas de pedras preciosas do mundo, como a ametista e a ágata. Isso devido um evento vulcânico do período Cretáceo, ocorrido há mais de 135 milhões de anos.

Foi por acaso que iniciou a exploração das pedras, quando agricultores as encontraram em raízes de árvores e córregos. Os garimpeiros iniciaram o processo de escavações em forma de poços com abertura lateral devido à topografia acidentada da região. Somente em 1972 o garimpo além de ser feito a céu aberto passou a ser feito em galerias. Atualmente o acesso às minas é feito com mais segurança e a técnica utilizada nos geodos para retirada das pedras também ficou mais eficaz, aonde não se perde tanto material com a exploração.

Além da cidade de Ametista do Sul mais oito cidades na redondeza praticamente vivem só da extração das pedras, sendo Ametista do Sul a principal fonte de extração, desde extensão quanto de volume produzido da pedra Ametista. Quanto mais escura for a cor da pedra, mais valor comercial ela tem. A maior parte da venda é feita para China.

O que Ver em Ametista do Sul

O turismo também é uma fonte de renda da cidade, onde duas rotas foram traçadas: a Rota das Águas e Pedras e a Rota das Gemas e Joias, passando por esses pontos turísticos:

– Através do aspecto esotérico na visita a Pirâmide com seu interior revestido de ametista construída na praça central.

A Paróquia São Gabriel tem o interior incrustado de 40 toneladas de pedra ametista, com cristais de calcita, citrino e quartzo hialino. A visita é gratuita, mas para filmar ou fotografar é necessário que se pague uma taxa.

  – As Lojas com uma ampla variedade de pedras preciosas e semipreciosas do mundo todo e com preços diversos, com peças brutas e lapidadas. Nesta loja compramos uma mini revista que explica todas as pedras e suas utilidades.

Ametista Parque Museu fica um pouco afastado do centro da cidade, é um dos pontos mais visitados com pedras diversas do mundo todo. A visitação passa por um garimpo subterrâneo desativado, onde também tem uma adega, com parada para degustação de vinhos e sucos. No final lojinha de souvenir.

Algumas pedras, à primeira vista, lembram Corais

 Ametista Parque Museu

Após visitar as lojas, a pirâmide e a igreja, passamos a tarde toda no Ametista Parque Museu. Iniciamos com o famoso passeio dentro da mina desativada, aonde se embarca em uma espécie de carrinho com 10 pessoas e um motorista super simpático. Ele vai explicando como era e como são feitas as garimpagens. Tem uma parada onde podemos observar algumas pedras e os processos de retiradas delas.

Depois visitamos o Museu propriamente dito, com mais de 1.500 exemplares de pedras preciosas do mundo todo. Além de ver um meteorito raro de quase 140 kg e da pedra ametista mais valiosa até o momento, pesando 2.5 toneladas.

Obs: Não é permitido fotografar o local.

No final desta grande sala do museu, já recebemos um capacete e iniciamos a pé a passagem de 200m dentro de uma galeria subterrânea, totalmente natural, ou seja, completamente rústica. O caminho central onde passamos é iluminado, e ao percorrer percebemos as galerias laterais que estão isoladas para passagem. Durante o percurso tem paredes com pedras reluzindo e um ponto com várias pedras para observação.

Dica: Vá com sapato fechado e cuide da altura se você for alto, tem alguns poucos lugares mais baixos.

No final, ainda dentro da mina, chega-se a uma adega com degustação e venda de vinhos e sucos (uma delícia) através da Coperametista. Meu marido por não gostar muito de espaço fechado ficou ansioso pela saída quando soube que estava a 50m abaixo da terra, mas a Sra. que nos atendeu falou que adora trabalhar ali, gosta do clima fresco.

Para terminar, sobe-se uma rampa para as lojas onde tem banheiros e lanchonete também. No lado de fora uma passarela leva a um mirante do Vale Verde.

Acasos da vida, já nas lojas, minha filha estava comprando pedras para trazer de lembrança e o Senhor que atendia ela começou a conversar com meu esposo sobre o passeio que tínhamos acabado de fazer. Falamos que a parte que deveria ser repensada é a do Museu, tantas preciosidades que não podem ser fotografadas, nem todos têm a oportunidade de uma visita a um local tão incomum. Só então o Senhor se apresentou como o proprietário de todo o local e disse que estavam exatamente pensando neste ponto e que tinha uma sala com preciosidades onde apenas poucos convidados a frequentam.

Gentilmente nos convidou para visitar este acervo e fez questão que colocássemos no blog inclusive as imagens para divulgação. Disse ainda que colocarão em exposição estas peças guardadas. Foram ótimos momentos conversando sobre como iniciou sua carreira, como são os processos atualmente, a procura das pedras e a valorização estrangeira.

Pedaço de Meteorito raro da coleção particular

Informações Úteis:

Site oficial do Parque: www.ametistaparque.com.br

Horários: De segunda a domingo das 9h às 12h e das 13h às 18h.

Reserve seu Hotel no Rio Grande do Sul aqui no Banner do site Booking. Você não paga a mais por isso, mas ajuda a manter o Blog no ar, pois recebemos um comissão através da parceria com o Booking. 🙂

E se precisa alugar um carro é só pesquisar aqui na RENTALCARS. Você aluga um carro com uma empresa segura, ajuda o Blog e passeia tranquilo pelas lindas cidades gaúchas.

Não esqueça de comprar seu seguro antes de viajar. A REAL SEGURO VIAGEM tem um buscador que compara os preços em várias corretoras. E o blog também recebe uma comissão pelas vendas sem alterar o seu custo.

Deixe um comentário
Você também pode gostar....
Praias e Falésias – Fortaleza
27 de julho de 2015
Beach Park – Fortaleza
17 de abril de 2015
Barcelona, ESPANHA, EUROPA

Park Güell – Barcelona

Entre tantas obras que Gaudí deixou por Barcelona, um local que você não pode deixar de visitar é o Parque Güell. Além de ser um dos pontos turísticos mais visitados da cidade também é Patrimônio da Humanidade. São tantos mosaicos, cores e detalhes que é possível sentir a paixão que Gaudí tinha por Barcelona e pela natureza.

Park Güell – Barcelona

Um empresário de Barcelona chamado Eusebi Güell, decidiu ser o patrocinador de uma grande ideia em seu terreno de aproximadamente 200 mil m², ou seja, quase 50 campos de futebol, lá na região de Gráciaem. Ele então chamou os arquitetos Antoni Gaudí e Joan Martorell para que se criassem o que chamamos hoje de condomínio particular, com casas, praças, mercado, etc.

Gaudí então no auge da moderna Art Nouveau na Catalunha iniciou algo inovador para a burguesia, utilizando as formas da natureza com vista para o mar, caminhos, diversas plantas locais e importadas, além de criar a própria capacitação de água.

A obra iniciou rapidamente com o Palácio Guell. Gaudí mudou em 1906 para lá com seu pai e sua sobrinha. A ideia era que todos os terrenos fossem ocupados, mas devido a disposição, a distância do centro e a dificuldade de se chegar até lá, tornou inviável a continuação do projeto em 1914. Dos 60 lotes que deveriam ter casas, só 2 foram feitos.

Futuramente os herdeiros de Güell venderam o local para a prefeitura criar um Parque Municipal, aonde a casa da família de Güell tornou-se uma escola pública.

Em 1963 os amigos da Casa de Gaudí conseguiram abrir a casa para visitação, que agora é Museu.

Em 1969 foi reconhecido como um monumento artístico e em 1984 o Parque foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO.

O que ver no Parque Güell

A entrada Principal: O Parque é cercado de um muro de pedras rústicas com medalhões de cerâmica com o nome do Park Güell. Portões de ferro se abrem para as duas construções que “dizem” terem sido inspiradas no conto de “Hansel e Gretel” – João e Maria.

Hoje a casa que seria das crianças serve de portaria, administração e manutenção do Parque, a outra casa, que seria a da Bruxa da história, é a sede MUHBA (Museu de História de Barcelona).

 

Obs: o parque tem entradas laterais também.

Os Passos do Dragão: É uma escadaria que se abre em duas e ladeadas por construções em mosaicos e bem ao centro está o dragão ou salamandra a qual é o símbolo do Parque, inclusive esta é uma das esculturas mais procuradas no parque. No final da escadaria tem a Sala Hipostila.

]

Salão Hipostila: Era para ser o mercado do local, com 100 colunas, com arcos ondulados abertos ao contrário e decorados, além das rosetas no teto onde Gaudí teve a colaboração de seu amigo Josep Maria Jujol. Já naquela época desenvolveram um sistema para recolher a água da chuva e escoar para uma cisterna subterrânea. No meio do salão tem espaços abertos que dá para ver as 3 naves.

Praça da Natureza: Fica em cima da Sala Hipostila e seria o espaço para grandes eventos ao ar livre. Ele foi inspirado nos teatros gregos e seu ponto principal são os bancos curvos com mosaicos, também desenhados por Josep M. Jujol e muito disputado para fotos.

No dia da nossa visita o parque estava bem vazio (tivemos sorte), porém, o tempo estava bem fechado e não conseguimos ter uma vista bonita da cidade, quando o tempo está bom é possível ver até o mar.

Os Viadutos: No parque todo existem viadutos com estilos bem diferentes além do Algaborro em forma de onda. Tem um romântico (das Jardineiras), um gótico (dos Museus) e um barroco (da Alfarrobeira).

Viaduto do Algarrobo: É uma grande onda com colunas inclinadas duplamente. Uns dizem que parecem as contas do rosário já que as pedras são arredondadas. Em uma parte está o Pórtico da Lavadeira, esculpida nas pedras a imagem de uma lavandeira, outros já dizem que se parece com uma estátua egípcia.

Jardins Áustria: Quando se tornou parque público, era um espaço de creche municipal. O nome vem da doação de árvores deste país na exposição “Viena para Barcelona”, realizada em 1977. O jardim tem uma vista linda das duas casas, uma sendo a Casa Museu Gaudí.

Viaduto das Jardineiras: Dentro de todo o parque há 3 viadutos com 5m de largura suspensos com colunas inclinadas e ornado com muitas plantas. A intenção na época era que os moradores utilizassem para se proteger da chuva e do sol facilitando o caminho para as carruagens.

Curiosidades e Observações:

– Devido ao horário (final da tarde) não conseguimos visitar a Casa de Gaudí que já estava fechada. Para visitar a casa é pago um ingresso separado (VER VALOR). Também não subimos até o “calvário” que fica na parte mais alta do parque.

– Além de toda essa área do Parque que é possível visitar com o ingresso, há também uma grande extensão de área aberta aos moradores, aonde vimos muitas pessoas fazendo caminhadas e alguns vendedores ambulantes.

– A técnica utilizada nos mosaicos chama-se trencadís, feito com azulejos na época trazidos de Valência. Diz-se que Gaudí orientava os trabalhadores a recolher pedaços de cerâmicas e vidros pelo caminho para serem utilizados também.

– Além da entrada principal na Carrer de Larrard o parque ainda conta com mais duas entradas, uma onde os ônibus de turismos estacionam na Carretera del Carmel e outra na Passatge de Sant Josep de la Muntanya que pode-se chegar subindo por uma escada rolante.

Informações Úteis:

Site oficial: www.parkguell.cat

Horários:

30 outubro – 26 março: 8:30-18:15 (última entrada às 17:30);

27 março – 1 maio: 8:00-20:30 (última entrada às 19:30);

2 maio – 28 agosto: 8:00-21:30 (última entrada às 20:30);

29 agosto – 29 outubro: 8:00-20:30 (última entrada às 19:30).

Valor:

Entrada geral € 7. Crianças de 0 a 6 anos € 0. Crianças dos 7 aos 12 anos € 4,90. Mais de 65 anos € 4,90.

Reserve seu Hotel em Barcelona aqui pelo site BOOKING. Você não paga a mais por isso, mas ajuda a manter o Blog no ar, pois recebemos uma comissão através da parceria com o Booking 🙂

E se precisa alugar um carro pesquise aqui na RENTALCARS. Você aluga um carro com uma empresa segura, ajuda o Blog e passeia tranquilo pela linda cidade de Barcelona.

Não esqueça de comprar seu seguro antes de viajar. A REAL SEGURO VIAGEM tem um buscador que compara os preços em várias corretoras. E o blog também recebe uma comissão pelas vendas sem alterar o seu custo.

Seguro viagem europa 468x60

Deixe um comentário
Você também pode gostar....
Praça de Espanha – Madri
13 de outubro de 2015
Fábrica de Damasquinado e Espadas de Toledo – Espanha
4 de outubro de 2015
Catedral Primada de Toledo – Espanha
5 de maio de 2015
AMÉRICA DO NORTE, CALIFORNIA, ESTADOS UNIDOS

Calico Ghost Town – EUA

Na Califórnia, próximo a Las Vegas, está localizada uma das cidades fantasma dos EUA – Calico.

Calico Ghost Town – EUA

calico-ghost

Programamos a parada para conhecer a cidade durante a viagem de San Diego a Las Vegas. Havia lido sobre o calor, mas durante a viagem no ar condicionado do carro não lembrei desse detalhe. Avistamos a placa “Calico Ghost Town” e já paramos para tirar foto. Quando saímos do carro só conseguia pensar “Agora entendi porque a cidade é fantasma” Que calor! Aquele bafo mais parecia o inferno na terra! Tudo bem que sou exagerada, mas para exemplificar: a lente da câmera embaçava!

calico-restaurante

A cidade possui alguns restaurantes e lojinhas de souvenires. Para almoçar escolhemos o primeiro restaurante, não sei se os outros seriam melhores, mas o desejo era muito grande por um ar condicionado! O restaurante ‘Calico House’ era muito legal e temático, totalmente ‘Velho Oeste’, potinho com amendoim em todas as mesas, daqueles na casca ainda, e todas as cascas são jogadas no chão. A bebida vinha em um pote de conserva e o cardápio era bem variado. Músicas típicas ficam tocando e um piano antigo fica a disposição para quem quiser tocar um ‘can-can’.

calico-house-restaurante

Como a cidade virou fantasma?

A cidade fica localizada no Deserto do Mojave e foi fundada em 1881 por um único motivo: a exploração da mineração de prata. Chegou a ter 1200 habitantes, mas doze anos depois da sua inauguração o preço da prata baixou muito e a emigração começou a ocorrer, tornando assim a cidade em fantasma. A cidade foi comprada e reformada em 1950 por Walter Knott. Walter manteve os 5 prédios principais (Lil’s Sallon, Town Office, Lucy Lane House,  Smitty’s Gallery e o Joe’s Saloon) e esse foi um dos principais motivos que quis conhecer, para saber exatamente como era na época do faroeste.

calico-cidade-fantasma

Em 2005, o governador Arnold Schwarzenegger proclamou Calico como “a cidade fantasma da prata da precipitação de Califórnia”

Hoje o local é totalmente turístico, inclusive a entrada é paga.

Atrações de Calico Ghost Town

Subir a Avenida principal já é uma atração em si com lojinhas típicas, prisão, sallons e muitos locais divertidos para tirar fotos.

calico-atracoes

Há passeio de Trem, trilhas, museu, passeios a cavalo e até um Ghost Tours que são passeios feitos a noite com guia contando algumas histórias de fantasmas.

calico-turismo

Ao final da Main Street é possível subir um morro e ter uma excelente vista panorâmica da cidade e do deserto (também é possível ter uma insolação, não há sombra alguma).

calico-ghost-town

No seu auge, Calico possuía 500 minas de prata, muitas entradas estão visíveis pela cidade, mas o acesso só é possível com guia e reserva do tour.

calico-mina-prata

Curiosidades:

  • A cidade possui pouquíssimos habitantes, todos os outros que encontramos por lá moram em cidades próximas e estavam lá apenas a trabalho.
  • No Grand Canyon há uma recriação das cidades do ‘Velho Oeste’ mas bem sem graça depois de conhecer Calico.

Informações Úteis:

Site oficial: www.calicotown.com

Site para tour: www.calicoghosttours.com

Horários: Aberto diariamente das 9h as 17h (com exceção do Natal)

Valor: Adulto $8. De 6 a 15 anos $5

Reserve seu Hotel em Las Vegas aqui pelo site BOOKING. Você não paga a mais por isso, mas ajuda a manter o Blog no ar, pois recebemos uma comissão através da parceria com o Booking 🙂

E se precisa alugar um carro é só pesquisar aqui na RENTALCARS. Você aluga um carro com uma empresa segura, ajuda o Blog e passeia tranquilo pela sua Trip nos Estados Unidos.

Não esqueça de comprar seu seguro antes de viajar. A REAL SEGURO VIAGEM tem um buscador que compara os preços em várias corretoras. E o blog também recebe uma comissão pelas vendas sem alterar o seu custo.

Seguro viagem america do norte 468x60

2 Comentários
Você também pode gostar....
Trip pela Costa Oeste dos EUA
13 de abril de 2016
Museu do Ar e Espaço – Washington D.C.
28 de março de 2016
Trip pela Costa Leste dos EUA
11 de agosto de 2015